Busca en Poetizando

miércoles, 7 de abril de 2010

Me iré cuando llegue el amanecer

Desnudo de espaldas 1922- JOSEP DE TOGORES

Seré el aire de tus labios
navegando entre mis brazos
para conseguir crecer

Seré la última célula
entre las miles de células
que recorren la piel

Seré un simple átomo
sobre la desnudez de tu cuerpo,
y me iré cuando llegue el amanecer.

Desde mi Noray

2 comentarios:

  1. In your honour and in the honour of wall the Writwrs and Poets, I published an ilustration.

    ResponderEliminar
  2. A alma escolhe

    Emily Dickinson

    A alma escolhe sua companhia
    E fecha os portais.
    Em sua divina soberania
    Não se entra mais.

    Impassível, reconhece a carruagem
    Parando à entrada;
    Impassível, vê um rei que se ajoelha
    No seu tapete.

    Sei que escolheu de uma grande nação
    Um só, a dedo.
    Depois fechou as valvas da atenção
    Como um rochedo.

    ResponderEliminar