Busca en Poetizando

domingo, 3 de octubre de 2010

"A Coruja branca"



Em minha casa entre as árvores ouço o rumor da noite.
O vento escorraça os astros crepitantes
As montanhas descem em direcção ao mar como rebanhos
que não tivessem esperado a licença da aurora para
a migração necessária.
E a erva cresce. E a água corre. E o mundo recomeça
como uma palavra interrompida. E as nuvens caem do céu
e rastejam no caminho danificado pelas chuvas de janeiro.
Um pio atravessa a folhagem murmurante.
A coruja branca, minha irmã sedentária,
vigia na escuridão o mundo abandonado
por tantas pálpebras fechadas.


Lêdo Ivo
BLog Amantes da Poesía

12 comentarios:

  1. E a coruja branca que aos olhos nada se esconde, espreita a noite esperando um movimento.
    Um suspiro, e assim poder vislumbrar a vida novamente e trazê-la noite adentro.

    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. é msm o que estamos fazendo com o mundo... fechando nossos olhos pra todas as mazelas, inclusive a destruição da natureza.

    Lindo!
    bj

    ResponderEliminar
  3. Hola bello blogg, preciosas entradas, gracias por compartirlas, te encontré en un blogg común,si te gusta la poesía te invito al mio,será un placer,es,
    http://ligerodeequipaje1875.blogspot.com/
    muchas gracias, buen día, besos.

    ResponderEliminar
  4. Todos os sentimentos cansam e "desistem", menos o amor. Sentimento algum é tão teimoso! Até quando passa, não acaba. Posto de lado, jamais se conforma. Mesmo se afogando na impossibilidade, não morre.
    Bjs com carinho

    ResponderEliminar
  5. É tão bom fazer parte dos poemas de outras pessoas, consegui entrar em suas palavras e fazer parte por um momento!
    Belo blog e abraço.

    ResponderEliminar
  6. E pensar que estamos perdendo tudo isso. Querida Lua, há um presente no Gotas embrulhado em papel de seda para vc, que tal rasgá-lo para saber o que é. Vamos?

    ResponderEliminar
  7. Me encantó lo que logré entender, ustedes que viven rodeados de una vegetación exhuberante están más comprometidos con la ecología, con el entorno vegetal y animal. realmente bello tu trabajo.

    ResponderEliminar
  8. Também amo a noite e os seres que vagueiam em sua escuridão. A noite com seu silêncio cortado por ruidos poucos e misteriosos, atiça a imaginação, libera os sentidos e me põe em contato comigo mesma e com o Universo.
    Adorável seu texto.
    Beijokas.

    ResponderEliminar
  9. Lindo tudo por aqui!
    Beijosss, seguindo.

    ResponderEliminar
  10. Me ha costado entenderlo, pero fantástico, sublime, sensacional*

    ResponderEliminar
  11. O maior poeta brasileiro vivo, é Ledo Ivo.

    *

    Bom estar-me aqui, moça sensível in Sampa...
    Obrigado pela presença plena de loas lá no Canto Geral, apenas um pequenino quintal de quimeras...

    Abraço mineiro,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderEliminar